“Não se pode falar do oceano para um sapo do brejo — criatura de uma esfera mais acanhada. Não se pode falar de um estado isento de pensamento para um pedagogo; sua visão é demasiado restrita”. — Chuang Tzu

Condições para o sucesso no estudo do paradigma holotrópico

Há condições físicas que, até certo ponto, podem contribuir para o bom ou mau êxito de seus esforços neste estudo. Como em tudo, há, naturalmente, casos excepcionais, que não alteram a regra geral. 

vejamos algumas dessas condições:

1) Extrema fraqueza física, resultante de enfermidade ou aborrecimento que afete a força de vontade do principiante, constituí obstáculos a seu esforço interno. Por exemplo: um homem pode dizer: "Compreendo a necessidade de aperfeiçoar meu aparelho pensante e aumentar minha força de vontade, porém, as limitações físicas impedem-me de começar o trabalho, que reconheço ser tão útil". Tal pessoa não pode ter muita esperança de seguir nosso caminho. 

2) Demasiados compromissos diários, que não deixam tempo nem energia para exercícios sistemáticos e contínuos. Para tal pessoa, uma concentração de final de semana, com todos os exercícios, será quase inútil. 

3) A falta de convicção íntima, intuitiva e firme de que um trabalho desta natureza lhe abrirá a porta para uma vida nova e melhor; pois não pode haver imposição num estudo tão sutil como este. Sob tais condições, o homem deve abandonar a empreita, visto faltar-lhe maturidade.

(...) A condição psicológica adequada é o reconhecimento de que você não é a mente, pois esta deveria ser sua serva e não seu amo. Isso foi admiravelmente expresso por Helena P. Blavatski:
"A mente é boa serva, mas cruel senhor". 

Saiba também que o caminho de concentração conduz além da simples habilidade de convergência da mente. O sucesso significa nada menos do que compreender a natureza e origem da mente e, ao mesmo tempo, transcende esses dois fatores. É o acesso a um novo estado de consciência sobre o qual nada se pode saber ou antecipar enquanto não se atingir a dupla realização que acabamos de mencionar. 

Normalmente, as condições para um estudo proveitoso surgem espontaneamente nos que se acham amadurecidos o bastante.

É importante lembrar que a ideia de ampliação da consciência não surgiria se não existisse tal possibilidade. 

Possuímos ouvidos e olhos, é verdade, mas DEVEMOS ter a capacidade de ouvir através desses órgãos, o que NEM TODOS CONSEGUEM. Cristo nos disse, claramente, que há pessoas que têm ouvidos e olhos e, ainda assim, não ouvem e nem veem.

O estudo desses assuntos requer também decisão firme, pois o estudante, uma vez frustrado, se algum dia voltar a eles não o fará com facilidade. Surgir-lhe-ão dúvidas e, estando ainda fraco (o fato de hesitar é prova disso), não poderá opor-se às sugestões de sua própria mente, que o aconselhará a abandonar todas as ideias. 

Será bom aceitar, mesmo teoricamente, o fato (conhecido por muitos de nós) de a mente ser inimiga de qualquer esforço, por parte do homem, para dominá-la. Isso porque a consciência confusa dessa forma sutil de energia nem sempre é idêntica à do homem. Muitas vezes, os interesses de ambos — o homem e sua mente — são opostos

Você pode observar esse fato no seguinte exemplo: frequentemente com você mesmo sua mente-cérebro recusa-se a cooperar quando necessita dela, e, para justificar-se, encontra muitas desculpas, tais como fadiga, falta de tempo, inquietação, etc. Seja como for, o autor beneficiou-se muito desenvolvendo a ideia de separação do homem e sua mente. Aliás, seu mestre espiritual afirmou que tal separação é útil e corresponde rigorosamente à realidade.

Mouni Sadhu em, Concentração

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Quando você compreende, quando chega a saber,
então traz toda a beleza do passado de volta
e dá a esse passado o renascimento, renova-o,
de forma que todos os que o conheceram
possam estar de novo sobre a terra
e viajar por aqui, e ajudar as pessoas." (Tilopa)



"Nos momentos tranqüilos da meditação, a vontade de DEUS pode tornar-se evidente para nós. Acalmar a mente, através da meditação, traz uma paz interior que nos põe em contato com DEUS dentro de nós. Uma premissa básica da meditação, é que é difícil, senão impossível, alcançar um contato consciente, à não ser que a mente esteja sossegada. Para que haja um progresso, a comum sucessão ininterrupta de pensamentos tem de parar. Por isso, a nossa prática preliminar será sossegar a mente e deixar os pensamentos que brotam morrerem de morte natural. Deixamos nossos pensamentos para trás, à medida que a meditação do Décimo Primeiro Passo se torna uma realidade para nós. O equilíbrio emocional é um dos primeiros resultados da meditação, e a nossa experiência confirma isso." (11º Passo de NA)


"O Eu Superior pode usar algum evento, alguma pessoa ou algum livro como seu mensageiro. Pode fazer qualquer circunstância nova agir da mesma forma, mas o indivíduo deve ter a capacidade de reconhecer o que está acontecendo e ter a disposição para receber a mensagem". (Paul Brunton)



Observe Krishnamurti, em conversa com David Bohn, apontando para um "processo", um "caminho de transformação", descrevendo suas etapas até o estado de prontificação e a necessária base emocional para a manifestação da Visão Intuitiva, ou como dizemos no paradigma, a Retomada da Perene Consciência Amorosa Integrativa...


Krishnamurti: Estávamos discutindo o que significa para o cérebro não ter movimento. Quando um ser humano ESTEVE SEGUINDO O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO, e PASSOU por TUDO isso, e esse SENTIDO DE VAZIO, SILÊNCIO E ENERGIA, ele ABANDONOU QUASE TUDO e CHEGOU AO PONTO, à BASE. Como, então, essa VISÃO INTUITIVA afeta a sua vida diária? Qual é o seu relacionamento com a sociedade? Como ele age em relação à guerra, e ao mundo todo — um mundo em que está realmente vivendo e lutando na escuridão? Qual a sua ação? Eu diria, como concordamos no outro dia, que ele é o não-movimento.

David Bohn: Sim, dissemos que a base era movimento SEM DIVISÃO.

K: Sem divisão. Sim, correto. (Capítulo 8 do livro, A ELIMINAÇÃO DO TEMPO PSICOLÓGICO)


A IMPORTÂNCIA DA RENDIÇÃO DIANTE DA MENTE ADQUIRIDA
Até praticar a rendição, a dimensão espiritual de você é algo sobre o que você lê, de que fala, com que fica entusiasmado, tema para escrita de livros, motivo de pensamento, algo em que acredita... ou não, seja qual for o caso. Não faz diferença. Só quando você se render é que a dimensão espiritual se tornará uma realidade viva na sua vida. Quando o fizer, a energia que você emana e que então governa a sua vida é de uma frequência vibratória muito superior à da energia mental que ainda comanda o nosso mundo. Através da rendição, a energia espiritual entra neste mundo. Não gera sofrimento para você, para os outros seres humanos, nem para qualquer forma de vida no planeta. (Eckhart Tolle em , A Prática do Poder do Agora, pág. 118)